Minha maternidade atípica  –  Relatos da Enfermeira Taciana Nunes

A enfermeira é mãe da pequena Eloá de 4 anos, diagnosticada com T.E.A. (Transtorno Espectro Autista) desde 1 ano e 8 meses.

Com muito carinho, fez seu relato de como lida com a maternidade, de modo a ajudar outras mães e pais que desconhecem o assunto.

 

A descoberta

O primeiro sinal que Taciana percebeu, foram os padrões irregulares de sono, como insônia, poucas horas de sono e noites sem dormir. Eloá passava as noites em claro e dormia durante o dia, desde a saída da maternidade.

O segundo sinal, foi a falta de vínculo durante a amamentação, isso porque a Eloá não fixava o olhar.

O terceiro sinal foi a falta de interação com outras crianças na escola, considerando que Eloá começou a frequentar o berçário aos 6 meses.

 

Erros e acertos

O maior erro, é deixar a culpa te machucar e não procurar ajuda por medo do diagnóstico, pois quanto antes diagnosticado mais cedo se inicia o tratamento e uma melhor qualidade de vida futura a criança terá.

O maior acerto é “sempre confiar na intuição de mãe”.

Atualmente aos 4 anos, após a confirmação do diagnóstico por uma equipe multidisciplinar (Psiquiatras Infantis, Terapeuta Ocupacional, fisioterapeuta e psicólogo) e as intervenções devidas, Eloá consegue ter uma rotina de vida com qualidade, nas quais o T.E.A. não interfere. Considerando que ela tem um nível leve, e que o Transtorno tem suas classificações e cada caso é um caso.

Taciana ressalta o apoio que recebe da APEAU (Associação de Pais Espectro Autista Ubatuba), sendo de fundamental importância, e acredita que toda família que convive com este espectro deveria procurar a Associação em busca de apoio.

 

Dicas

Identificar a mãe ou a criança com a pulseira, ou colar do autista: mercados, aeroportos, hospitais, locais públicos e aglomerados.

Ter sempre os laudos em mão

Informar a escola

Fazer a carteirinha do autista

Ter conhecimento sobre a LEI 3281 (Lei de Prioridade)

Taciana usa suas redes sociais para dar dicas, compartilhando a rotina da Eloá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.